O parto é uma experiência única, inesquecível e, talvez, a mais importante na vida de uma mulher e de sua família e, embora o nascimento seja algo natural ao ser humano, o modo como o parto será vivenciado pela mulher depende de duas crenças, temores, cultura, redes de apoio e nível de informação.

O desejo pela escolha do parto precisa ser respeitado, e aumentam as chances de sucesso quando o apoio é real. Este é um assunto delicado e importante, que vale a pena ser abordado nas consultas de pré-natal.

Por onde começar

Afinal, como a grávida deve preparar seu corpo para o parto?
É essencial cuidar da saúde do assoalho pélvico! A musculatura do assoalho pélvico (MAP)* ajuda a sustentar os órgãos pélvicos, como bexiga, útero e ovários. Esses órgãos são sustentados por ligamentos e fáscias, que são tecidos elásticos, que suportam até certa tensão. Passando disso, pode ocorrer alguma ruptura de fibras.

Pensando em uma gestação onde a sobrecarga nesses ligamentos é enorme, é de grande importância uma MAP (musculatura do assoalho pélvico) bem tonificada para ajudar na sustentação desses órgãos, principalmente o útero, que aumenta consideravelmente durante a gravidez.

Por que cuidar do assoalho pélvico?

Durante a gestação, ter a musculatura do assoalho pélvico forte oferece um apoio maior ao útero, o que reduz a pressão sobre a bexiga e diminui as dores lombares, comuns neste período; evitam a sobrecarga nas fáscias e ligamentos, reduzindo o risco de prolapso genital (deslocamento de órgãos como útero, bexiga, reto, intestino delgado e uretra) e garantem uma recuperação mais rápida e tranquila após o parto.

O maior causador de lesões do assoalho pélvico é o parto. Na fase expulsiva, o útero se contrai, fazendo com que a cabeça do bebê seja projetada de forma repetitiva para esse assoalho.

Não contraia, relaxe!

Nós, mulheres, que aprendemos a contrair esta musculatura sempre, neste momento precisamos aprender a relaxar, para melhorar sua flexibilidade e alongamento. Não é uma tarefa fácil, exige treino, concentração, dedicação, disciplina e o mais importante: vontade.

Ter um períneo íntegro é o maior desejo para quem quer um parto normal. Pensar que somos capazes, que o corpo da mulher foi preparado para dar à luz, querer deixar a natureza agir, ler sobre o assunto, estudar, se informar e se empoderar, aumentam as chances de sucesso.

Barriga de grávida

Massagem no períneo pode ajudar

Para que este alongamento progressivo aconteça, é necessária a liberação do médico, que orienta quanto ao início das sessões de massagem no períneo (em média 34 semanas). Também é orientado que seja feita em casa, diariamente, com duração de 5 a 10 minutos.

Além de preparar para o parto, a massagem também contribui para uma maior conscientização da musculatura e autopercepção. Cuidar de si também é cuidar do bebê. Então, mãos a obra! Pergunte ao seu médico e peça ajuda profissional para aprender a fortalecer o seu períneo!

Deixe um comentário